Você se lembra dos tempos nos quais o termo network era autossuficiente? Me refiro a quando ele não vinha acompanhado do prefixo “social”, o qual implica em likes, shares, tweets, etc!

Pois bem… A boa e velha rede de relacionamentos ganhou dinamismo com a chegada da era digital repaginando nosso dia-a-dia. Nas redes sociais digitais é possível conectar-se a pessoas que há décadas você teria perdido contato ou até mesmo quem você encontrou rapidamente e identificou motivos para manter a relação. É possível exercer posições políticas com maior contundência, compartilhar uma conquista pessoal ou profissional, expor e buscar conhecimento sobre os mais diversos temas, entre outras façanhas.

E quando conectamos a ideia de Rede Social e Profissão, na mente de muitos o primeiro nome que surge é a rede social LinkedIn. Essa formidável ferramenta tem imenso valor, porém diversos usuários, inebriados pela possibilidade de alcance que ela os fornece, confundem-se ao crer que tal ferramenta substitui o networking clássico. É certo afirmar que nem ela nem nenhuma outra o substituirão!

As inovações tecnológicas não simplesmente aumentaram o círculo de relações. Elas criaram camadas. E é de suma importância identificar e valorizar a camada central, principal, que é a de pessoas realmente conhecidas e impactadas por você. É nela que circulam as melhores oportunidades da vida.

Noto que as pessoas vêm minimizando importância do bom e velho conceito de network e temo que elas em breve sentirão os prejuízos de tal descaso, pois o relacionamento real, off-line, nunca deixará de ser a sua mais valiosa ferramenta para sermos lembrados por alguém.

Tanto o LinkedIn, quanto as mais descontraídas redes como Facebook, Instagram, Twitter têm seu uso ótimo somente quando aliados a uma conduta coerente na vida real.

Quero aqui encorajá-lo a seguir expandindo seu network e explorando ao máximo as infinitas possibilidades e benefícios que as redes sociais oferecem, pois isso é extremamente saudável, mas atenção: mantenha-se relevante! Presente! Verdadeiro! Autêntico!

A seguir, compartilho algumas dicas propostas em um artigo publicado por Rebecca Knight na revista Harvard Business Review, para contribuir para assegurar a qualidade e manutenção do seu network profissional:

1. Priorize: Dorie Clark, autora da obra Reinventing You: Define Your Brand, Imagine Your Future sugere “agrupar seus contatos em diferentes baldes”, por exemplo:
– clientes atuais;
– clientes em potencial;
– colegas influentes;
– amigos que são reais conectores.

2. Demonstre que você se importa com sua rede: a mesma autora recomenda utilizar diferentes ferramentas em seu arsenal para se manter em contato. E-mails, telefonemas, cafés, reuniões sociais, notas escritas à mão. A chave é: use-as para se manter em órbita. Para isso, demonstre a essas pessoas que você se interessa nelas e na vida delas. Em outras palavras: se você se importa, evite contatar tais pessoas somente em um momento de necessidade.

3. Seja estratégico com as mídias sociais: faça interações offline em decorrência de informações online. Se aquele cliente/amigo foi promovido, faça um telefonema ou quando possível, convide-o a brindar mais essa conquista profissional pessoalmente.

4. Seja acessível, ofereça ajuda: outra bela maneira de se manter relevante é sempre procurar maneiras de ser útil à sua rede de contatos. Ouça carinhosamente o que eles têm a dizer e os desafios que enfrentam. Talvez você tenha acabado de ler um livro que possa ajudar… Envie-o de presente, faça uma sugestão! Entretanto, vale o lembrete: preocupe-se sempre em ser genuíno, autêntico e sincero, para que se crie um senso de respeito.

5. Não se gabe: você não quer essa reputação, definitivamente. Quando for informar a respeito de alguma ascensão ou feito relevante, faça isso de uma maneira a comunicar como isso pode auxiliar mais pessoas, fornecendo informações, produtos ou serviços que eles não tinham acesso quando de seu estado anterior. Não bata tambor. Use seu sucesso para causar uma boa memória nos outros.

6. Não force amizades: se você está tendo um esforço duro demais para manter uma conexão, talvez seja um sinal para retirar-se. Não se preocupe em demasia com falta de reciprocidade. Como em qualquer campo da vida, aparentar desespero só lhe torna menos desejável. Caso tal conexão seja realmente indispensável, mude a estratégia de abordagem, procure conexões em comum, pessoas que possam apresenta-las, mas não seja inconveniente nem deselegante.

7. Organize-se de tempos em tempos: a cada semestre, aproximadamente, reavalie as camadas do seu círculo de contato e quem está inserido em cada uma delas. Pode ocorrer de pessoas mudarem de camadas e demandarem mais ou menos ações de sua parte para manutenção do contato, e isso não significa que cortará contatos, mas certamente tal prática lhe permitirá maior eficiência com novas relações que surgirem ao longo do caminho e também facilitará a identificação de pessoas com as quais talvez você esteja negligenciando na relação.

Lembrando sempre que é fundamental apresentar destreza e elegância na manutenção de seu networking, offline e online.

Espero que tenha gostado da leitura e que ela sirva de inspiração e reflexão sobre o tema.

Um grande abraço,

Evelise
Co-founder & COO @ Rheco.me