Definição de insanidade: fazer sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes. Isso vale para muitos aspectos de nossas vidas, tanto pessoais quanto profissionais, e não poderia ser diferente na vida de qualquer empresa.

Hoje em dia se fala muito em inovação, soluções disruptivas e pensamento “fora da caixa” para alcançar o sucesso e um crescimento sustentável e duradouro. Mas muitas vezes quando se pensa nessas palavras e frases, pensamos muito em tecnologia, modelos de negócios, comunicação, publicidade, lançamentos de novos produtos, entre outros aspectos de um negócio. Por isso, acabamos esquecendo que uma empresa pode alcançar o sucesso sendo inovadora em seus processos internos, como na produção, estrutura de custos, logística e até mesmo no recrutamento.

Mas calma, por que uma empresa deveria focar em inovar no seu processo de recrutamento?

Por um motivo simples: quem faz acontecer, são as pessoas. Ou seja, se o objetivo é fazer soluções diferentes e disruptivas para vencer em um mercado cada vez mais competitivo, a empresa precisará de pessoas mais e mais qualificadas com idéias diferentes para colocar tudo isso em prática. Por enquanto, nada muito além do óbvio, certo? Mas aí que vem a pergunta: como uma empresa vai em busca de pessoas qualificadas com idéias diferentes utilizando as mesmas formas de recrutamento de sempre?

Voltando à parte inicial desse meu texto: não seria insanidade procurar pessoas diferentes recrutando sempre da mesma forma? Não seria perda de tempo tocar sempre a mesma nota e esperar sair uma música (ou, no caso, candidato) diferente?

As empresas precisam pensar que o ato de inovar começa de dentro para fora, e não ao contrário. Inovando na busca por talentos, a empresa começa a atrair os candidatos certos, capazes de liderar esse movimento pela busca do novo, do disruptivo e de transformação. Pense nisso!

Eduardo Andrade
Founder & CEO @ Rheco.me