O Programa de Recomendação de Funcionários (PRF) é um conceito no qual os próprios colaboradores da empresa atuam como caça-talentos para as posições em aberto. Esse programa encoraja os colaboradores da empresa a recomendar amigos e/ou conhecidos para uma vaga específica e, caso o candidato recomendado seja contratado, o colaborador que indicou recebe uma remuneração financeira como recompensa.

Baixe nosso e-book para ter acesso ao guia completo sobre o PRF

Discorro agora, de forma sucinta, alguns contundentes argumentos em prol deste conceito:

  1. Os candidatos são mais alinhados com a cultura da empresa: uma vez que o próprio funcionário é quem recruta, ele irá buscar em sua rede de contatos e conexões profissionais alguém que ele veja com um encaixe perfeito no médio-longo prazo;
  2. Maior qualidade no rol de candidatos: o crivo inicial dos funcionários da empresa (motivados por encontrar o melhor candidato possível, haja vista a bonificação a isso atrelada) aumenta o nível técnico dos potenciais novos contratados;
  3. Maior eficiência: menos tempo é gasto pelos profissionais responsáveis pelas entrevistas, avaliações e por fim, contratação, uma vez que uma pré-seleção já foi executada pelos funcionários-recrutadores;
  4. Menor tempo para alcance da produtividade mínima inicial: como o futuro contratado tende a estar mais alinhado com a cultura e por já conhecer um ou mais rostos familiares, o prazo para que seu trabalho individual comece a gerar valor para a empresa é menor do que aqueles contratados por outros métodos;
  5. Melhor custo-benefício: nem sempre o Programa de Recomendação de Funcionários é menos custoso do que outros métodos – haja vista que a bonificação para o funcionário-recrutador pode variar de acordo com a importância da posição que está a ser preenchida. Entretanto, diante dos demais pontos supracitados, a relação custo-benefício é, sem dúvidas, muito mais vantajosa;
  6. Tal Programa tende a ser um excelente indicador de moral: uma pessoa não indica outra para um lugar que não gosta – ou para reportar a um profissional que não admira. Baixa adesão a campanhas como essas podem ser um bom termômetro para problemas a serem resolvidos em um departamento – antes mesmo que a contratação seja feita;
  7. Programas de Recomendação de Funcionários tendem a ir contra a diversidade – Mito!!! Quando corretamente comunicados, tais Programas tendem a ser a fonte mais produtiva para alcançar a diversidade. Fonte: CareerXroads 2011 – 2012;
  8. Maior retenção de quem indica e de quem é contratado: a bonificação a quem indica, por si só, já produz um efeito a aumentar a retenção. Além disso, estudos mostram que:
  • A retenção é 13% maior no primeiro ano ao comparada com sites de recrutamento e 24% maior do que job boards;
  • A retenção é 25% maior no segundo ano ao comparada com sites de recrutamento e 29% maior do que job boards. Fonte: Jobvite index 2012

Diante da crescente expansão das redes sociais e da importância que elas tomaram em nosso dia-a-dia pessoal e profissional, o Programa de Recomendação de Funcionários tem se destacado de maneira ainda mais expressiva quando comparado a outros métodos de seleção.

Atualmente diversos aspectos de nosso cotidiano foram alterados por tais redes: como escolhemos um restaurante, como organizamos uma festa de aniversário, como damos parabéns a pessoas queridas. É possível ter uma abrangência maior da rede de contatos, além de permitir acompanhar a trajetória de cada pessoa – independente do grau de presença que tal indivíduo tem na sua vida e do momento no qual essa relação foi estabelecida.

Certamente um dos pontos mais importantes – e humanos – da vida de uma empresa, não poderia ficar à margem de tal mudança! O Programa de Recomendação de Funcionários é o caminho para que empresas se beneficiem deste maravilhoso momento que vivemos.

Um abraço, e bom recrutamento!

Evelise Ethel – Co-fundadora da Rheco.me

Saiba mais sobre o PRF baixando nosso e-book